domingo, 20 de junho de 2010

Vivendo...por Rosa Dias

É, na minha modesta opinião, um dos maiores valores de sempre da nossa Poesia popular, repentista, natural, simples e na «linguagem que o Povo fala». Colabora em muitas e muitas inciativas de índole poética por todo o País. É membro do Coral das Cantadeiras da Alma Alentejana, sempre presente, num incontestável apoio, em especial nos momentos mais «críticos»...e ainda lhe sobra tempo para fazer Fotos, muitas e belas, a que dá expressão no seu Blog que recomendamos uma visita permanente em:
http://jrosadocm.blogs.sapo.pt/

Falamos da «Rosa de Mesinha», a Poetisa Rosa Dias de Campo Maior, como é mais conhecida. Numa «homenagem» que é bem merecida, o nosso Blog elegeu-a, para abertura desta nova «etiqueta» dos «Eleitos»...
Ora façam, se fazem favor, uma pequena «viagem» pelo nosso Alentejo de cá, numa «reportagem» que fala por si no Slide de Fotos que se segue, «ainda po riba», como dizia a minha Avó...com uma música de fundo...«de morrer»...

3 comentários:

  1. Ora que surpresa!
    Fiquei sensibilizada com estas palavras vindas dum amigo, também ele um poeta, cantor, e dirigente do! "" Grupo das Cantadeiras da Alma Alentejana"".
    Fico feliz de estar abrindo mais uma bonita iniciativa deste amigo que é Luís Moisão.
    Homem de ideias, que pouco a pouco se vão realizando para beneficio de todos os que comungam com esta forma de fazer cultura.
    Agradecida e disponham desta vossa amiga.
    Rosa Guerreiro Dias

    ResponderEliminar
  2. Eu disse logo que não era boa o que estavam a «combinar» - ver foto do «trio maravilha«...
    Enviei cópia desta página para todos os Grupos Corais associados na MODA, assim como para esta e todas as Escolas. Aliás já os tinha convidado a todos para o lançamento do 2º CD das Cantadeiras - ninguém apareceu ou deu qualquer sinal de saber o que se passou.
    De seguida, e para os mesmos, ofereci o envio do CD «grátis» na volta do correio a quem o pedisse...e nada também.
    Acho que este Povo Alentejano (e não só) está mesmo a «morrer», mas a «morrer de verdade», o que me deixa triste...mesmo muito triste.
    Mas...enquanto houver 2 Alentejanos que queiram persistir em «lutar contra a corrente», lá estaremos nós. Beijinhos e obrigado, porque neste caso o mérito é inteiramente seu e só seu.
    O Alentejo não tem fim!

    ResponderEliminar
  3. Será que a internet ainda não chegou ao Alentejo. Isto é uma provocação, pois com a persistência que o amigo Luis Moisão tem divulgado,enviado fotos de actividades desenvolvidas e a desenvolver no nosso Alentejo e não ha retorno. Não podemos adormecer, aliás como diz o Luis "O ALENTEJO NÃO TEM FIM"
    Joaquim Avó

    ResponderEliminar