terça-feira, 13 de julho de 2010

Alta Costura...As Mãos de Minha Mãe...


Uma Lágrima Escondida ...

Já não vejo da Terra
senão sombras e rios.
Sinto um mar de penas
bailando em meu redor.
Luas imensas passei
sempre esperando.
No deserto frio,
um pouco de luar !

Frágil figura, embarcação
sem mar.
Rio deslizando
ao vendaval da dor.
Horizontes, esperança revivida
de me encontrar contigo.
Em ondas de amor,
de silêncio, de paixão.

Desperto...desperto, ainda sozinho,
sem raio de luz,
nem estrela, nem luar.
Gota a gota os dias vão passando
sereno, deserto,
porvir ou passado.
Braços vazios, roseiras de enfeitar,
horas contadas, contidas,
contidas.
No deslizar suave duma...
lágrima escondida !






Falripas de Minha Mãe – Volume 2

Luis –
2001-01-06

Sem comentários:

Enviar um comentário